09 novembro 2017

Em entrevista, Amy confirma DVD da turnê Synthesis


O site da rádio francesa La Grosse publicou uma nova entrevista com a Amy Lee onde ela confirmou a gravação de DVD oficial de concerto da Synthesis Tour. Confira a tradução:

Olá, Amy e seja bem vindo à La Grosse Radio Metal, obrigado por ter tido tempo para responder às nossas perguntas. Evanescence está de volta com um novo álbum, Synthesis, você pode nos contar mais sobre o processo de criação deste novo álbum? 

Sempre que fazemos um álbum, digo que gostaria de ter um mix apenas para mim, que é apenas os elementos programados, os instrumentos de cordas, etc... apenas para manter esta essência de lado. Há tantos elementos em nossa música que compõem o resultado final do que você ouve quando adicionamos as guitarras, o baixo e a bateria, torna-se difícil ouvir todos esses elementos. Então eu decidi finalmente destacar todos esses elementos e meu profundo desejo por alguns anos através do Synthesis. É um álbum para mostrar as idéias que tivemos, mostrar como crescemos como músicos, destacar as influências clássicas em nossa música e também oferecer uma surpresa para nossos fãs.

 Como você decidiu quais músicas seriam incluídos neste álbum?

Eu escutei cada uma de nossas músicas em diferentes versões, o que também foi útil para lançar o box The Ultimate Collection. Então eu escolhi as que dariam o maior contraste possível em comparação com a versão original. Foi assim que percebi rapidamente que algumas músicas não tinham precisavam em estar presentes no Synthesis. Quando componho muitas vezes eu coloco várias ideias para uma música antes de chegar ao resultado final e consegui usar uma ideia que eu tinha, mas que não correspondia com a universo que queríamos dar naquele momento. 

Você está atualmente em turnê do Synthesis nos EUA, como é tocar com uma orquestra todas as noites? 

É uma experiência única e incrível, não é como o que fizemos antes. Tocar com uma orquestra, fazer parte de uma orquestra em outro coisa, é um sonho que tive em mente há muitos anos e este projeto captura uma grande parte do que Evanescence é em termos de som e melodia. O lado pesado e muscular da nossa música é sempre apresentado, é tão bom apresentar agora o lado clássico, elementos sinfônicos ou eletrônicos. Nós tocamos todas as noites com uma nova orquestra, é impossível fazer mais "cru" do que isso. Ao contrário de um show normal que deve ser enérgico, onde eu corro de um lado para o outro do palco, podemos agora nos concentrar em nosso desempenho. Jen e eu podemos cantar de maneira muito mais próxima da versão do estúdio e, dessa forma, nossas vozes podem se misturar, harmonizar para capturar todas as sensibilidades das músicas. 

Durante o show às vezes estou completamente exposta, já que é só eu e o piano, esses são os momentos mais estressantes, mas também os mais interessantes para mim. Eu acho que é nesse tipo de momento que você cresce como músico. 

Teremos direito a uma versão em DVD dessa turnê? 

Sim sim! Acabamos de filmar um dos nossos concertos nos EUA, que será mixado e editado em breve. O concerto foi muito bom e estou ansioso para ver o resultado final. Paul Brown (editor, video-diretor dos clipes "Imperfection" e "Sweet Sacrifice") criou o programa do Synthesis e, portanto, é bastante natural que seja ele quem é responsável pela captura de imagens, bem como edição completa. 

Podemos esperar um novo álbum de Evanescence nos próximos anos? 

Está em nossos planos para escrever e gravar um álbum de Evanescence que consiste em novas músicas, mas não sei quando, minha mente só pensa no lançamento da Synthesis e na longa turnê que nos aguardam.

Faz dois anos que Jen Majura se juntou à banda, quanto ela é uma influência para você musicalmente falando? 

Eu acho que saberemos mais sobre isso quando começarmos a compor para o próximo álbum, mas posso dizer que Jen é uma musicista incrível que me faz descobrir coisas todos os dias, fico feliz por ela estar no Evanescence! 

Desde o lançamento de Fallen, há catorze anos, seus fãs também cresceram muito. Para muitos deles, Evanescence era a porta de entrada para o rock e depois o metal, esse é um elemento importante para você? 

Claro! Não há melhor coisa do que ser uma inspiração para as pessoas, ser uma porta de entrada para um mundo novo porque conseguimos passar nas rádios do mundo. Seja em turnê ou em redes sociais, o público geralmente nos conta o que descobriram desde a primeira vez que eles ouviram "Bring Me To Life" no rádio quando tinham 12-13 anos, eu fico feliz em ver as pessoas ouvindo o metal em tempo integral graças a nós quando não somos a banda mais metálica de sempre (risos). 

Muito obrigado Amy, não podemos esperar para vê-la no próximo mês de março no Grand Rex. Boa sorte para o final da turnê americana!

Fonte: La Grosse

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.